peru

Pois é, amiguinhos, como muitos de vocês sabem, passei 15 dias de férias no Peru e não preciso dizer que foi incrível. A comida peruana, pra mim, é uma das mais encantadoras do mundo e certamente a mais representativa dentro da culinária andina.

A gastronomia andina é aquela que acolhe todos os países atravessados pela magnífica e bela Cordilheira dos Andes (assustadora pra alguns que viram aquele filme dos jogadores de futebol que sobreviveram a um acidente de avião comendo uns aos outros), ou seja, o Chile, a Bolívia, o Peru, o Equador, a Colômbia e a Venezuela. É uma cozinha muito rica, totalmente influenciada pelos povos indígenas que habitavam aquelas terras antes da chegada dos espanhóis. Muito do que se consumia pelos povos incas ainda faz parte da gastronomia atual. A alimentação era farta em legumes, tubérculos, frutas, cereais, peixes e carne de animais locais.

A batata é o carboidrato base da cozinha peruana e andina. O arroz, que é a base da nossa cozinha brasileira, só chegou aos países andinos com os espanhóis, mas até hoje a batata reina suprema como fonte de energia. Por volta de 2.500 a.C., já eram cultivadas cerca de 200 tipos de batatas diferentes e hoje já são catalogadas mais de 2.500 tipos diferentes. Amarelas, laranjas, doces, pequenas, grandes, cozidas, fritas, em forma de purê… batatas das mais variadas formas, cores e sabores.

Outro alimento andino que anda muito em voga no vocabulário nutricional é a quinoa. Era considerado um alimento sagrado pelos incas e é cultivada há mais de 5 mil anos. É um cereal muito rico em carboidratos, vitaminas e ácidos graxos essenciais ômega 3 e 6, possui mais proteínas do que qualquer outra planta da sua espécie. Ajuda a aumentar a imunidade, a memória, reduz o colesterol ruim e ainda ajuda as mulheres a diminuir os sintomas da TPM e menopausa. Ou seja, quinoa é deus. Pode ser usada como cereal no café da manhã, em saladas, sopas e pode substituir o arroz em risotos.


fonte

Mas não podemos falar de culinária peruana sem falar do milho. São cerca de 35 variedades: branco, amarelo, preto, que podem ser servidos cozidos, fritos, tostados, como bebida e como base pra vários pratos salgados e doces. O tamale é um exemplo interessante: é bem semelhante à nossa pamonha (só que acho nossa pamonha mais gostosa), é servido enrolado na palha do milho, cozido do mesmo jeito. O sabor é um pouco mais suave devido ao tipo de milho.


fonte

Desse milho negro se faz uma bebida muito consumida em todo o país, a chicha morada, que é simplesmente a maíz morada (o milho pretão) fervido e liquidificado com água e açúcar. É muito bom!

A chegada dos espanhóis trouxe consigo alguns animais, legumes e temperos que os ameríndios não conheciam e que foram enriquecendo ainda mais sua cozinha. E acho que a principal característica da cozinha andina é essa fusão de alimentos (que se convencionou de chamar de cozinha criolla): as heranças indígenas conservadas até hoje misturada aos hábitos trazidos pelos espanhóis e depois pelos outros povos que chegaram ao continente americano, como chineses e japoneses, promoveram esse samba do crioulo doido delicioso e rico, possibilitando recriar e até se apropriar de valores dessas outras culturas pra constituir essa que é uma gastronomia muito autêntica e original.

Cozinha de mar, montanha e selva

A cozinha peruana é dividida dessa forma, de acordo com a localização geográfica. No litoral, banhado pelo oceano Pacífico, a variedade de peixes e frutos do mar é enorme (cerca de 2000 espécies) e em Lima é basicamente o que se come. Langostinos e camarones,como eles chamam, aparentemente não têm nenhuma diferença, exceto que os langostinos são de mar, menores e os camarones maiores e de rio (e mais difíceis de serem pescados).

Ceviches de quase todo tipo de pescado, sempre servidos com muita cebola roxa, camote (batata laranja meio doce, gosto muito semelhante ao da abóbora), choclo (milho de grãos grandes e meio esbranquiçados, quase sem gosto), leite de tigre, que nada mais é que o suco do limão usado pra marinar o prato junto com os sumos liberados pelo peixe. Dizem que cura ressaca, viu? O tempero é ají e salsinha. Em quase todo lugar o ceviche é igual, mudando apenas a acidez e picância do prato. Particularmente, prefiro os de acidez moderada e a picância só vai influenciar na quantidade de cerveja que eu vou beber. De todos os ceviches que provei (e não foram poucos), o que mais gostei foi o de truta, que não é um peixe de mar. Ceviche de linguado é o mais encontrado e muito gostoso também.

A cozinha de montanha é a cozinha dos Andes. A presença das chamadas terrazas, já utilizadas desde a época dos incas, faz com que numa mesma montanha exista uma série de microclimas (84 das 104 zonas climáticas da terra, o Peru é um dos 12 países do mundo que têm tamanha diversidade). Isso faz com que cereais que necessitem de frio extremo possam ser cultivados num mesmo local que frutas tropicais, por exemplo, só modificando a altitude. Não é lindo?


essas escadarias aí é que são as terrazas

Além disso, é aqui na bela cordilheira dos Andes que estão as alpacas e lhamas, aqueles bichinhos lindos que cospem em você quando você chega perto. E o cuy. Gente, o cuy é retratado nos quadros do século 16 como prato principal da santa ceia, pelo menos pelos artistas anônimos da escola cusquenha. Mas o cuy, pra quem não sabe, é o porquinho da índia, ou preá (que nada mais é que um hamster grande). Eu criei preá quando era criança. Além disso, o cuy é sempre servido inteiro, assado no forno, na brasa, recheado ou não. Não, eu não consegui comer, é muito bonitinho.


não dá, né, gente?
(fonte)

E por fim, temos a cozinha de selva (e em selva aqui leia-se a região da floresta Amazônica), com ingredientes muito semelhantes ao que é consumido no norte do Brasil. Peixes de rio como o Pirarucu, carnes de caça, larvas, palmitos, castanhas e mandioca. Frutas como a piña (abacaxi), o camu camu e a banana, que está presente em muitas preparações. Comi no Astrid y Gastón um atum delicioso que acompanhava uma juane, uma massaroca feita com arroz e cozido em folha de bananeira, bem típico da parte amazônica do Peru.

Aos poucos, vou postando aqui minhas impressões sobre a gastronomia peruana, receitas, guias de onde e o que comer em Lima e Cusco (e arredores). Mas aos poucos mesmo, porque é muita informação.

About these ads

15 Comentários (+adicionar seu?)

  1. priscila ferreira
    jul 15, 2011 @ 20:27:59

    amei! amei! tratado muito bacana da culinária andina. quero muito ver os próximos posts! :)

    Resposta

  2. Trackback: astrid y gastón « temos comida
  3. yaneth
    ago 10, 2011 @ 20:47:14

    eu gostei , mas certamente sem vc não comeu o porquinho da india não save como e gostoso ,pois eu acho a nossa pamonha é mais gostosa q a de vcs ,além de q vcs nao tem muitas variedades de milho aqui. e também acho q vc ficando la só por 15 dias de férias não da pra saver toda a imformação q vc publicou ,vc procupou na internet e tiro essas imformações .

    Resposta

  4. zenzi
    ago 10, 2011 @ 21:12:11

    yaneth, vamos por partes:

    cuy: não comi e não posso dizer se é bom ou não. acredito realmente que seja, mas não posso falar do que não conheço.

    tamale: questão de gosto, acho a pamonha brasileira mais gostosa, assim como acho tantos similares de comidas que existem no peru e no brasil melhores lá do que aqui. e isso aqui não é uma competição, ok? eu sei que no peru tem uma variedade infinitamente maior de milhos que no brasil, eu disse isso no texto.

    informações sobre o peru: isso se chama apuração. buscar informações sobre quaisquer coisas depende da iniciativa de cada um, passe você 2, 15, 30 dias ou 10 anos num lugar. não sei se você percebeu, mas eu sou estudante de gastronomia e, como tal, tenho curiosidades sobre a cozinha de outros países. pesquisei sim (e muito) sobre o peru e sobre a culinária andina para trabalhos da faculdade, em livros e (por que não?) na internet. qual o problema nisso? não aprendi tudo que disse aqui em 15 dias de férias no peru (até porque não tinha ninguém pra me ensinar isso), porque já sabia disso tudo quando fui pra lá.

    também gostei muito da estética do seu comentário. continue visitando o blog e nos agraciando com suas brilhantes colocações.

    um abraço.

    Resposta

    • juan
      mai 22, 2013 @ 21:52:29

      em varias partes de latinoamérica e centroamerica fazem pamonha mas com outros nomes ninguém considera de origem do brasil, já que vc estuda gastronomia, devia saber disso

      Resposta

  5. Trackback: peru | Peça Comida
  6. preco de brindes
    fev 21, 2013 @ 09:39:43

    Engraved pocket watch One beautiful gift is usually to get an engraved pocket watch.

    This just isn’t cheap at over $100 however it’s a very unique gift that has to be very special.
    Offering promotional products will mean spending extra money, which is the reason it is important to look into the very best times to supply these gifts.

    Resposta

  7. Fernando
    mar 27, 2013 @ 12:39:54

    These gifts are chosen by companies on such basis as their recipients or people they then will be
    provided with to. However, for anyone who is trying to reach several people as you can
    within a single business you would have to give every
    person working there the promotional pens. This is definitely a significant advancement,
    if we consider the case of offering a great gift, by way
    of example, to some companys senior executive officer.

    Resposta

  8. merda
    mai 14, 2013 @ 14:08:12

    merda é gostasa que nem milho

    Resposta

  9. juan
    mai 22, 2013 @ 18:43:36

    qual é a diferença entre pamonha e humita? é muito parecido já comí as dois, não sei qual é a diferença mas sei que a humita não a consideram do brasil

    Resposta

  10. juan
    mai 22, 2013 @ 19:43:51

    humita o que é?

    Resposta

  11. Flavia Formiguinha Falante Fur
    out 04, 2013 @ 06:24:50

    Acho triste que algumas pessoas deixam mensagem so’ pra criticar. Voce nao falou nada de mal, so’ expressou seu gosto pela pamonha. Acho que as pessoas leem as coisas sem prestar atençao e ja saem atirando pedras…Afff. Achei legal as informaçoes que vc colocou, as fotos, tudo com simplicidade. Espero conhecer o esses lugares um dia e experimentar todas essas delicias. Claro…o preà eu tb tive na infanncia e nao o comeria de jeito nenhum :-D

    Resposta

  12. Raquel Francisca
    out 04, 2013 @ 08:21:45

    Bom dia Zenzi. Deixa o povo com a cabecinha vazia de comidinhas, de alegria,de amor e de educação, passar a vida comendo miojo, e cuspindo labaredas de inveja. Boas viagens.

    Resposta

  13. Alex Dinho Uhdtv
    jun 09, 2014 @ 10:00:06

    Gostei do milho Colorido

    Resposta

  14. Michelle G.Michelle
    set 24, 2014 @ 18:47:31

    Adorei o post e fiquei curiosa com o sabor de cada um desses milhos.

    Parabéns pelo post! Riquissimo!

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 42 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: